Anúncios

Vinicius de Moraes…

Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei… tu irás e encostarás a tua face em outra face
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada.
in “Forma e exegese
in “Antologia Poética
in “Poesia completa e prosa: “O sentimento do sublime” “

O mais-que-perfeito

Ah, quem me dera ir-me
     Contigo agora
Para um horizonte firme
     (Comum, embora…)
Ah, quem me dera ir-me!

Ah, quem me dera amar-te
     Sem mais ciúmes
De alguém em algum lugar
     Que não presumes…
Ah, quem me dera amar-te!

Ah, quem me dera ver-te
     Sempre a meu lado
Sem precisar dizer-te
     Jamais: cuidado…
Ah, quem me dera ver-te!

Ah, quem me dera ter-te
     Como um lugar
Plantado num chão verde
     Para eu morar-te
Morar-te até morrer-te…
in “Para viver um grande amor (crônicas e poemas)
in “Poesia completa e prosa: “A lua de Montevidéu” ”
in “Poesia completa e prosa: “Cancioneiro””

O que tinha que ser

Porque foste na vida
A última esperança
Encontrar-te me fez criança
Porque já eras meu
Sem eu saber sequer
Porque és o meu homem
E eu tua mulher

Porque tu me chegaste
Sem me dizer que vinhas
E tuas mãos foram minhas com calma
Porque foste em minh’alma
Como um amanhecer
Porque foste o que tinha de ser

Composição: Vinicius de Moraes / Antonio Carlos Jobim

Anúncios

2 respostas para “Vinicius de Moraes…

  • ...

    Eu não existo sem você

    Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
    Que nada nesse mundo levará você de mim
    Eu sei e você sabe que a distância não existe
    Que todo grande amor
    Só é bem grande se for triste
    Por isso, meu amor
    Não tenha medo de sofrer
    Que todos os caminhos
    Me encaminham pra você

    Assim como o oceano
    Só é belo com luar
    Assim como a canção
    Só tem razão se se cantar
    Assim como uma nuvem
    Só acontece se chover
    Assim como o poeta
    Só é grande se sofrer
    Assim como viver
    Sem ter amor não é viver
    Não há você sem mim
    Eu não existo sem você
    Vinícius de Moraes

    Curtir

Dar pitaco

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: