Arquivo da categoria: Pela Web

Dica de Blog: Sapatilha sobre Rodas

CaptureDurante minha perambulações pelo wordpress, me deparei com um blog inspirador que faço questão de compartilhar com vocês.

“Sapatilha sobre Rodas” é um blog escrito sobre e por mulheres que têm algo em comum: são lindas, fortes e inspiradoras. Vá lá no blog delas e veja se eu não tenho razão.

Antes de ir, mentalize: nós somos seres limitados fisicamente – sua memória tem limites, sua voz tem limites, você cresce até um limite, sua pele é a fronteira do seu corpo. Todos temos restrições físicas, mesmo quando somos “saudáveis”, o corpo humano é limitado e frágil. As únicas limitações que não temos (embora a maioria das pessoas insista criar), são limitações mentais – o nosso pensamento, a imaginação humana e a força de vontade.

 


Pathy que te pariu!

Estou dando muitas risadas com essa menina, adorei! 🙂


Paz no Mundo, será possível?

Vi há algumas semanas um artigo na BBC com este mesmo título que me intrigou. Decidi procurá-lo novamente para postar sobre este assunto, explicarei porquê.

Atualmente moro em Recife que tem um dos maiores (senão o maior) Carnavais de rua do mundo. Estive em Olinda, no Recife Antigo, em Boa Viagem, em Candeias, em prévias, saídas de blocos, shows e estou agradavelmente surpresa com uma coisa… a tranquilidade deste Carnaval. Não sei números oficiais mas pelo histórico de Carnavais passados e pela estatística, eu deveria ter presenciado alguma confusão. Pensei que estava apenas com sorte, porém após alguma “pesquisa” entre amigos, todos me confirmaram a mesma coisa – parece mais tranquilo.

Foi essa linha de pensamento vinda de um motivo tão simplório que me fez relembrar e pensar na entrevista que vi. Será que o mundo caminha para a Paz? Será mesmo que podemos esperar que não hajam mais guerras, mais conflitos, mais assassinatos? Será que o ser Humano está ficando mais pacífico?

O Psicologista e Cientista Cognitivo Steven Pinker (Universidade de Harvard) acha que sim. Ele acredita que é perfeitamente concebível que as guerras entre países sigam o caminho do extermínio.

Apesar de saber que ainda existe muita violência no mundo, e mais formas de matar, há cada vez menos guerras entre países desde 1945. Não só em guerras, as taxas de homicídios são mais baixas do que por exemplo na Idade Média ou outros períodos passados. A violência no mundo em geral, e proporcionalmente à população, tem vindo a baixar. O presente é mais pacífico do que o passado e se a tendência continuar, o futuro será mais pacífico do que o presente.

Até em temas “menores”, assuntos que há relativamente pouco tempo eram ignorados – como a violência doméstica – não são mais aceites nem vistos como “normais”.

Steven afirma que temos partes no cérebro que nos impulsionam a ser violentos, como sentir desejo de vigança, tribalismo e a procura por dominância (pessoal ou de grupos, por exemplo, grupos religiosos). Porém outras partes inibem este instinto violento como por exemplo a razão ou o sentimento de empatia e nos permitem ver a violência como um problema a resolver em vez de como um concurso a ser ganho.

Aqui um link para um site interessante, uma base de dados que guarda os números de mortes por vários motivos (desde violentas, cancêrs, partos, etc) por taxa e por país, para os mais curiosos.

Para os que não querem abrir o link –  o Brasil está no número 19 dos mais violentos, Portugal no 143 e Enirados Árabes em 186 (total 192 países). Aqui está um ranking em que todos deveriam querer ficar no último lugar!

 

 


ParTOBA 10!!!!!


Messagem inspiradora de Nick Vujicic – Copa do Mundo 2010 (inglês)


O que acontece com um vídeo depois de 1000 uploads no YouTube?

Essa foi a pergunta que o usuário canzona decidiu responder.

Ele fez o upload de um vídeo no YouTube, fez o download, e voltou a fazer o upload da versão baixada. Repetiu o processo 1000 vezes – demorou cerca de um ano. No final, a qualidade do som e imagem são pouco “humanas” e o último video da série de canzona é uma confusão de cores e sons distorcidos.

Esse projeto é intitulado “I Am Sitting in a Video Room” (“Eu Estou Sentado numa sala de Video”) e foi inspirado num projeto de arte aúdio gravado pelo compositor  Alvin Lucier  há mais de 40 anos.

Cada vez que um vídeo é enviado para o YouTube, é comprimido pelos servidores do serviço para que fique pequeno o suficiente e facilite o carregamento para todos os que querem ver.

A compressão de imagem é conseguida gravando apenas diferenças de uma frame para a próxima em vez de toda a informação em cada frame, removendo diferenças pequenas que o olho humano normalmente não consegue detectar. O conceito é que essas pequenas mudanças não provocam perdas de qualidade relevantes.

No entanto, se repetir o processo 1000 vezes as alterações se aumulam e o resultado são imagens tão corrompidas que ficam irreconhecíveis. O mesmo se aplica ao som.

Não vou colocar todos os vídeos mas, vejam os números 1 (original), 100, 500 e 1000 aí: 

Experiência legal 🙂


Website da Tracy Chapman – pinte o seu!

O meu aqui:

Tracy Chapman (Cleveland, Ohio, 30 de março de 1964)  – é uma cantora de música pop, R&B jazz e soul norte-americana, vencedora por diversas vezes do Grammy, tornada mundialmente famosa por suas canções “Baby Can I Hold You“, “Fast car” e “Bang bang bang“.

🙂