Anúncios

Arquivo da tag: Emprego

Fui demitido(a), e agora?

Ai ai ai que dor! Você foi demitida(o), e agora? Tá surpreso(a), triste, desiludido(a), ficou sem chão, com raiva, com todas as suas contas e compromissos financeiros passando pela sua cabeça?

Se você não esperava e não tinha ideia de que isso ia acontecer, a reação natural é ficar em choque. Mesmo que já estivesse mais ou menos esperando, ouvir as palavras vai te botar para baixo.

Ninguém espera que uma pessoa demitida fique feliz, pule de alegria, e acredite ou não, demitir uma pessoa – com excepção de pessoas que são demitidas por atos graves como roubo, violência, etc – não traz prazer nenhum para quem demite (vamos deixar os sociopatas de fora dessa).

A primeira coisa que você deve fazer é claramente, manter a calma. Pode parecer difícil mas você precisa entender que a maneira como você reage a uma demissão pode definir o seu futuro profissional. Não queime potenciais recomendações, indicações e até quem sabe re-contratações! Depois, convêm entender e clarificar com sua empresa porquê você foi demitido?

Se a explicação for óbvia como nos casos mencionados acima, bem feito.

A empresa está reduzindo custos porque o negócio não está indo tão bem? Isso acontece ou pode acontecer com todo e qualquer negócio. As empresas têm altos e baixos e infelizmente, da mesma forma que nos altos tendem a contratar mais gente do que precisam, nos baixos, cortes têm que ser feitos. Você acha que isso é uma escolha pessoal? Não é. Negócios não tem coração e não casas de caridade. Se a empresa está reduzindo custos e você não é das pessoas mais necessárias, ou talvez não das mais competentes, você vai garantidamente entrar na lista de cortes. Não leve isso pessoalmente e mantenha a cabeça fria. O jeito é seguir em frente.

Você tinha um emprego que por exemplo foi automatizado e sua posição virou redundante? Bem, a primeira coisa é que você já deveria estar se preparando. Ao ver a compra, instalação de equipamentos de automação, etc, você já deveria estar se preparando, procurando outro emprego por exemplo ou melhor ainda, estudando, aprendendo alguma coisa nova, ou alguma coisa essencial para te manter empregado, como por exemplo, a operar ou reparar o equipamento de automação. Isso se aplica em várias situações semelhantes. Esteja atento aos movimentos da empresa e sempre procure se manter atualizado na sua profissão para evitar demissões em primeiro lugar. Se já aconteceu, porque não aproveita esse tempo sem emprego para melhorar seu conhecimento?

Foi demitido por má performance? Bem feito. Sempre dê o seu melhor e se faça indispensável. Se você está num emprego para fazer o mínimo possível e pegar o seu no final do mês, bem feito e bem feito, você merece ser demitido. Sempre trabalhe para crescer, não para ficar onde você já está. Sempre, sempre, sempre tem um jeito de fazer mais. Você é segurança ou caixa de um supermercado? Analise os processos e procedimentos do mercado, dê sugestões de como as coisas podem ser melhoradas. Limpa banheiros? Seja o melhor limpador de todos, entenda que o que você faz é muitíssimo importante, é manter a imagem da empresa. Faça mais do que é esperado de você, vista a camisa e cuide da empresa como se fosse o seu próprio negócio e eu garanto que você dificilmente será demitido, porque todos os outros que estão lá naquele esquema de passar o tempo e pegar cheque vão primeiro do que você. Se você teve a coragem de se analisar e perceber que não deu o melhor de si e que talvez tenha merecido essa demissão, tudo bem. Aprendeu. Siga adiante e faça melhor na próxima.

Foi demitido porque a gerência mudou e vocês não se bateram? Eu confesso, essa é mais complicada. Você pode ser um funcionário exemplar e chega alguém novo que não vai com a tua cara e você baila. Ainda assim, mantenha a postura, seja o mais profissional possível. Não esqueça que aquela pessoa é nova e tem que provar o seu valor. Ela não vai com a sua cara agora, conseguiu te demitir mas agora ela tem que provar que dali para a frente tudo melhora, certo? E se você se mantiver profissional e cordial, principalmente na saída, e tiver sido de fato um funcionário indispensável, os donos, outros gerentes e seus colegas vão lembrar disso. Se as coisas de fato melhorarem na empresa, você perdeu o emprego mas consegue boas recomendações, indicações, etc e pode achar outra coisa mais rápido. E se correrem mal para o novo gerente, quem sabe o que pode acontecer? Você pode até voltar numa posição melhor do que tinha antes.

Foi demitido por se meter em intrigas e fofocas e casos desse tipo? Bem feito. Não se meta nessas confusões. Se você escutar esse tipo de coisa ignore e se afaste. Se for com você, confronte, deixe bem claro que essas coisas não são seu tipo e você as considera anti-profissionais, ignore e se afaste. Nunca se meta em intrigas de coleguinhas, uma hora vai dar merda para alguém. Já aconteceu? Saia de bola baixa que é melhor, seu drama só vai piorar sua imagem e queimar seu filme de vez.

A mais difícil é quando é demitido(a) por sua idade. Essa é pura sacanagem. Tem muita empresa que não percebe a importância e o valor que o conhecimento tem. Erradamente, valorizam mais uma folha de papel do que anos de experiência. Não adianta ter um curso teórico e muita energia, se você não sabe o que fazer na prática e não tem maturidade nem experiência para lidar com o que vem com a vida real. O ideal seria que todos os jovens trabalhadores fossem guiados por pessoas mais experientes, que são naturalmente, mais velhas. Deve ser muito difícil dar anos e anos de seu esforço e dedicação e ser demitido antes de poder se aposentar mas, ainda assim, mantenha a postura. Se lembre que a sua experiência tem valor e que se revoltar não vai ajudar, não queime suas pontes.

Um resumo:

  • Dê sempre o seu melhor no trabalho, se mantenha afastado de fofocas e intrigas e se mantenha atualizado para que seja o mais indispensável possível e reduza potenciais chances de demissão;
  • Fique atento aos movimentos da sua empresa, se vir que o negócio não está indo tão bem, pergunte aos seus superiores diretamente se está em risco de demissão mas se prepare mentalmente e comece a procurar outras oportunidades;
  • Se acontecer, mantenha a calma, não entre em desespero, nada de drama, mantenha uma postura adulta, cordial e profissional antes, durante e depois da sua saída, nunca leve uma demissão para o lado pessoal;
  • Deixe bem claro que está disponível para ajudar e esclarecer dúvidas que os seus colegas possam ter, mesmo depois da sua saída. Isso te abre uma porta de comunicação imprescindível ;
  • Peça recomendações e indicações para os seus ex-empregadores, que se você sair em bons termos, são suas melhores referências;
  • Bote a cabeça no lugar, prepare um bom currículo, treine para entrevistas e vá com toda a confiança do mundo sabendo que você tem valor e é um funcionário que vai agregar a qualquer empresa que te empregue. Vida que segue.

Anúncios

5 dicas para quem quer morar nos Emirados

É um país difícil para novatos. Principalmente por ser tão caro, aqueles que vêm na aventura, sem nenhum plano e apenas com a esperança de achar algum emprego, normalmente gastam suas reservas e vão embora pior do que chegaram.

Dica no. 1 – Inglês

Mesmo que você falasse Árabe perfeitamente, os Emirados têm muitos expatriados, aliás a população é não-Árabe em sua maioria então, se não souber falar Inglês direito, as coisas mais simples como pedir comida num restaurante serão bem complicadas.

Pratique seu Inglês, faça cursinhos online ou o que puder fazer para deixar seu Inglês mais fluente e o menos abrasileirado possível. Línguas adicionais são um plus, como o Espanhol, Francês, Alemão, etc, mas o Inglês é obrigatório.

Dica no. 2 – Comece a procurar trabalho antes de chegar 

Muitas empresas contratam gente que não mora aqui, então é comum aceitarem entrevistas por Skype ou por telefone e às vezes pagam até sua passagem pra você fazer a entrevista pessoalmente. Então o ideal é que você já venha com algo alinhado. Comece por:

  • O LinkedIn é uma das melhores e mais usadas ferramentas de recrutamento nos Emirados. Dê aquele grau no seu CV (em Inglês, óbvio) e poste no LinkedIn. Foto profissional, que mostre toda sua cara mas nada de decotes, bebida na mão etc, deixa isso pro teu Facebook;
  • Se inscreva em sites de emprego no UAE, como monster.com, bayt.com, dubbizzle.com, monstergulf.com, gulftalent.com;
  • Se inscreva nos sites das agências de recrutamento – a Robert Half por exemplo é boa para profissionais que trabalham com Financeiro, a Charterhouse, assim como a Hays, é melhor para pessoas de Administração. Existem várias, MacKenzieJones, McGregor-Boyall, etc.;
  • Aplique nos sites das empresas de seu interesse. Se por exemplo você quer trabalhar com hotelaria, faça uma pesquisa no Google, veja as centenas de hotéis que existem aqui e saia aplicando diretamente nos sites dos hotéis.

Nota: tenha certeza que seu perfil é consistente em todos os canais, posts, etc, não vá cometer o erro básico de dizer uma coisa no seu CV e outra no seu LinkedIn. Os meios se consultam, cuidado para não mentir e perder a reputação de cara.

Se você já sabe que vem para os Emirados de todo jeito e não está esperando ser contratado para poder ter patrocínio na passagem, uma outra dica é colocar seu endereço como se já estivesse aqui. Isso facilitará e aumentará suas chances com aqueles que querem contratar apenas pessoas que já moram nos Emirados. Se te ligarem, você pode sempre dizer que está de férias ou teve que voltar para resolver alguma coisa mas estará de volta no dia X da sua passagem.

É muito importante achar emprego logo. Além de ser um lugar muito caro em que você não vai conseguir se sustentar muito tempo sem uma fonte de renda, é preciso visto para morar e apenas consegue com um emprego ou casando com alguém que tenha visto e possa ser seu sponsor. Se não arrumar emprego, já sabe, o truque é casar logo rsrs.

Ah, e não pense que só porque vem para os Emirados vai chegar sentado(a) em petrodólares como eu sempre escuto porque isso é a maior besteira do mundo. A menos que você já tenha uma carreira brilhante e venha recrutado especificamente por essa carreira, já com tudo mais do que certo, você vai começar por baixo como todo mundo. Se ganha mais aqui do que aí? Ganha sim, mas se gasta muuuiiiitttooo mais também. Você vai penar de todo jeito, ter que comer pão e danone vários dias e viver de salário em salário vários meses ou até anos. A diferença é que se você for profissional, qualificado(a), dedicado(a) e se adaptar rápido, você provavelmente terá uma escalada mais rápida do que no Brasil. Além de ser mais seguro, limpo, etc etc

Dica no. 3 – Procure fazer amigos antes de chegar

Como disse, é um lugar difícil. Se você não conhece ninguém provavelmente se sentirá bastante sozinho(a) e até meio deprimido no início. Se inscreva em grupos de pessoas que moram aqui, como o Brasileiros em Dubai, ou o InterNations, existem vários e são facilmente encontrados no Facebook, Google. Eles sempre organizam eventos, cafés, jantares, festas. Você pode se inscrever antes de chegar, ir conversando com as pessoas pela Internet e quando chegar já se sentirá mais à vontade e terá uma base de conhecidos.

Participe de todos os eventos que puder pelo menos uma vez. Esses grupos são ótimos para fazer contatos profissionais e os Emirados funcionam muito por indicação, é bem possível que uma dessas pessoas seja a pessoa que te indica o caminho certo e você terá a oportunidade de fazer novos amigos.

Acredite que até com amigos você se sentirá sozinho às vezes. Aqui todo mundo trabalha muito, é comum passar 10, 11 horas no trabalho por dia e agendas ficam difíceis de conciliar, então, é importante que tenha diversos grupos de amigos, faça atividade física, namore, viaje, curta bem muito os momentos fora do trabalho para não ficar excessivamente isolado(a).

Dica no. 4 – Venha com algum dinheiro

Ai, como é caro aqui. Tudo é caro mas acomodação nem se fala! Se você não conhece ninguém e também não tem emprego, é melhor trazer um bom dinheiro de poupança ou então nem vir, corre um sério risco de gastar tudo e ter que voltar sem nada ou terminar dividindo quarto (não é apartamento não, você leu bem, quarto) com mais 4 indianos(as).

Se você conhece alguém e tem onde ficar, agradeça. Isso já é uma ajuda enorme, que vai te poupar bastante dinheiro e dor de cabeça. Os aluguéis aqui são extremamente caros e em sua maioria pagos adiantadamente por um ano. Em alguns casos você consegue negociar pagar em até 4 vezes por ano mas os cheques têm que ser todos entregues na assinatura do contrato. Além disso existem depósitos de segurança que têm que ser pagos para ativar a água+luz, ar condicionado (não dá pra viver sem aqui), TV+ Internet etc. Quando você aluga um apartamento ainda tem que pagar 5% do valor do aluguer pra o agente imobiliário e um depósito de segurança ao senhorio de também 5%. Tendo em consideração que um apartamento de apenas um quarto em áreas razoáveis anda entre 45 – 65 mil reais por ano, já viu né?

Frutas e comida são em geral mais caras do que no Brasil e em Portugal, bebida alcoólica é caríssima. Carros, gasolina e com certeza eletrodomésticos, celulares, computadores e afins são mais baratos do que no Brasil mas não porque é barato aqui e sim porque no Brasil é uma roubalheira. Preços desses items saem a mesma coisa do que em Portugal. Ouro, diamantes, pérolas, jóias, também são mais baratas, mas quem tem dinheiro para isso quando chega?

Sharjah, Ajman, Ras Al Khaimah, Fujairah e Umm Al Quaimm são os Emirados mais baratos, Dubai e Abu Dhabi são os mais caros mas também os mais interessantes e mais liberais para morar. Se quer vir para cá mas não consegue se sustentar nas capitais, estudar os Emirados mais baratos pode ser uma boa ideia. Sharjah é um dos Emirados mais restritos, lá não se pode beber álcool nem em hotéis, então estude bem as opções antes de fazer suas escolhas, o amigo Google ajuda.

Dica no.5 – Se prepare para perder momentos especiais

Parece meio óbvio e não é uma dica específica aos Emirados mas quando você sai do seu país, deixa sua família para trás e está num lugar novo, sem muitos amigos, é bastante normal sentir saudade claro, tristeza também. Isso pode ser bem pior em dias especiais como aniversários, casamentos, nascimentos, batizados, falecimentos, Natal, etc.

Eu já vi muita gente pirar e querer desistir ou desistir mesmo por não conseguir ficar longe da família. Não tem como não sentir as coisas mas, venha bem consciente que é impossível você presenciar tudo. Talvez você consiga planejar pra ir no aniversário de 80 anos da sua avó mas vai perder o casamento da sua melhor amiga, sempre vai ser assim, você sempre vai perder alguma coisa.

Tente racionalizar isso de antemão, entender que você fez uma escolha e que existem prós e contras nessa escolha, o maior dos contras sendo justamente esse, você não estar lá em todos os momentos importantes. Se isso te parece impossível de ultrapassar, fique por aí mesmo. Saiba que com o tempo você vai se acostumar e vai construir sua vida em outro lugar mas nunca desaparece e sempre deixa um pouco de culpa. Morar fora não é para todos.