Anúncios

Arquivo da tag: Sentimento

Bizarro: Síndrome da Atração Sexual Genética

Avó e seu netinho do coração

Com certeza já leram por aí a bizarra e curiosa história de Pearl Carter – 72 anos, e Phil Baile – 26 anos, que causaram polêmica nos EUA (e não só) quando resolveram assumir uma relação amorosa e o desejo de terem um filho sendo que, são avó e neto.  

Ela diz ter se apiaxonado pelo neto desde que o conheceu – quando tinha 46 anos. A mãe do rapaz foi deixada para adoção quando Pearl tinha apenas 18 anos. Já idosa, ela soube da morte da filha e foi atrás do neto, com quem começou essa estranha relação. 

Aparentemente, o que eles estão sentindo tem um nome e mais casos reportados: Síndrome da Atração Sexual Genética – é o nome que dão ao desejo sexual que é sentido entre parentes próximos, como pais e filhos ou entre irmãos por exemplo.

Alguns factores contribuem para a síndrome como o facto de que rostos familiares e parecidos com os nossos nos parecem mais atraentes e confiáveis e, ter o mesmo tipo de interesses e personalidades também ajuda a captar nossa atenção. Na teoria – embora não comprovado e debatível – se a personalidade é transmitida geneticamente, é natural que parentes próximos sejam mais parecidos.

É uma das possíveis consequências da adopção quando os adoptados voltam a encontrar parentes biológicos (quer saibam ou não que são seus parentes) e, embora seja raro, não é tão raro assim: cerca de metade das famílias que se reencontra tem relato de um caso desses!  

Quando a relação sexual é concretizada, então passa a ser incesto e é, em alguns países, punível por lei. Acontece que nem todos os casos chegam a isso, na maioria das vezes não passa de digamos, uma forte atração provocada por um sentimento obsessivo.

Se torna mais díficil acontecer quando o reencontro é ainda durante a infância da criança, já que a maioria dos irmãos ficam então protegidos pelo efeito de Westermarck – basicamente os adultos evitam escolher como parceiros sexuais indivíduos com os quais eles viveram suas infâncias.

Mais casos polêmicos:

Continue lendo

Anúncios